Atualização sobre coronavírus na Itália: cidades bloqueadas, voos cancelados e Seguro Viagem

Depois do último post em nosso blog, os dados referentes ao coronavírus mudaram drasticamente na Itália. Até então, a Itália é o país europeu com maior número de casos confirmados, mas também com a maior ação para descoberta dos infectados e controle da disseminação do vírus.


Números confirmados do contágio do vírus


Até às 18:00h do dia 02/03/20, os dados concedidos pelo departamento da Proteção civil de pessoas contaminadas nesse momento, de acordo com as regiões, seriam: 1.254 na Lombardia, 335 em Emilia Romagna, 273 no Veneto, 51 no Piemonte, 35 em Marche, 22 na Ligúria, 17 na Campania, 13 na Toscana, 9 em Friuli Venezia Giulia, 7 na Sicilia , 7 em Lácio, 5 em Abruzzo, 4 na Apúlia, 2 na Úmbria, 1 na província de Bolzano e 1 na Calábria.


Resumindo: 1.835 contaminadas, 52 mortos e 149 recuperados. No total, 2.036 pessoas foram infectadas, incluindo as pessoas curadas e as vítimas. Quanto aos testes para verificar se a pessoa está contaminada ou não, até o presente momento foram realizados 23.345.


Medidas de controle e prevenção


As medidas para controlar a disseminação do vírus ou o impacto causado nas cidades varia de acordo com a classificação das zonas. Desde do dia 23 de fevereiro, um decreto foi implementado para o controle, porém, as medidas realizadas em cada cidade variam de acordo com a região classificada. Até o presente momento, podemos classificar a Itália em 4 partes: a zona vermelha (zona rossa), a zona amarela, as províncias de Bergamo, Lodi, Piacenza e Cremona e, por último, o restante do território nacional.


Na “zona rossa”, compreendida pelos municípios da Lombardia e Veneto (Bertonico; Casalpusterlengo; Castelgerundo; Castiglione D'Adda; Codogno; Fombio; Maleo; San Fiorano; Somaglia; Terranova dei Passerini; Vo') seguem com as medidas de proibição de remoção de todos os indivíduos presentes nas cidades afetadas; suspensão de eventos públicos e acesso aos locais de interesse público, além do fechamento de escolas, museus e institutos culturais. Além disso, houve a suspensão dos serviços de transporte e das atividades das empresas (excluindo serviços essenciais), bem como a suspensão da atividade de cargos públicos (exceto serviços essenciais).