top of page

Cidades com os salários mais altos na Itália!

Atualizado: 7 de ago. de 2023

Todos os anos, assim como em vários países do mundo, pesquisas são feitas na Itália, e uma dessas pesquisas anuais visa analisar o valor anual dos salários em diferentes cidades italianas, gerando assim um ranking começando com a cidade com o maior salário e terminando na cidade com menor valor anual. Obviamente que não são apenas essas questões que devem ser levadas em consideração na hora de decidir onde morar no país, isso pode servir como um filtro para mais pesquisas naquela cidade, mas como sempre digo, é importante analisar seu perfil pessoal, condições imobiliárias daquela cidade, deslocamento, sua área de atuação entre outros fatores.


Algo que me chamou a atenção é que tal pesquisa não aponta apenas a diferença econômica entre o Norte e o Sul; como vocês já me ouviram falar outras vezes, ainda temos dois cenários diferentes no país no quesito econômico e o Sul fica para trás quando o assunto é esse, mas essa pesquisa atual também aponta que existem outros lugares onde o problema econômico aparece, isso porque as duas últimas províncias deste ranking estão na região de Lazio, que pertence ao centro da Itália, e a quinta na Lombardia, região norte do país, a mais desenvolvida economicamente. A análise foi realizada pelo Centro de Estudos das Câmaras de Comércio Guglielmo Tagliacarne, levando em consideração a renda dos trabalhadores entre 2019 e 2021, mas os dados foram coletados ano passado e divulgados esse ano.


A primeira notícia é que os salários a nível nacional aumentaram cerca de 301 euros; porém, em cerca de 22 cidades, os trabalhadores perderam cerca de 312 euros em seus salários nos últimos três anos. As três principais cidades que mais perderam nos salários médios são Veneza, Florença e Prato. Obviamente isso pode ser reflexo, como a pesquisa disse, por conta da questão do Covid e seu impacto no turismo. Já as três cidades que tiveram aumentos salariais foram Milão, Parma e Savona, onde os salários aumentaram mais de mil euros em três anos.



Quais cidades possuem os maiores salários na Itália?


A classificação completa por província abre com Milão na liderança com 30.464,86 euros anuais. Em segundo lugar, com uma diferença gritante, está Bolzano, cidade localizada ao norte, na região do Trentino Alto Adige, com 18.942,08 euros anuais. Em terceiro lugar temos Bolonha, localizada na região da Emilia Romagna, que pertence ao norte, com 18.628,65 euros; em quarto temos Parma, também na região da Emilia Romagna, com 18.175,33 euros e em quinto Roma, centro da Itália, com 17.774,30 euros.


Dessas cidades citadas até então, todas em algo em comum: o elevado custo de vida; obviamente que Milão é muito superior essa diferença, é a cidade mais cara da Itália, o que justifica os maiores salários, mas não deixa de ser cidade alvo para quem quer boas oportunidades, crescimento profissional e trabalho de forma mais rápida ao chegar no país. Claro que as pessoas procuram cidades ao arredor devido aos custos surreais de aluguel em Milão, assim fazem um equilíbrio na balança entre aluguel e salários.


As próximas cidades da lista são Bolzano, Bolonha e Parma, que são excelentes cidades, com qualidade de vida extremamente elevadas, ótimas oportunidades de emprego, custo elevado de moradia, mas não tanto como Milão e Roma, por exemplo. Como sempre, pesquisar sobre essas cidades e entender seu funcionamento é fundamental para entender como se inserir e se realmente é possível começar a vida em uma delas. Quando digo isso, me refiro a alguns pontos como, por exemplo: Bologna é muito universitária, o que causa aumento nos aluguéis e uma certa escassez para quem não vai a estudo. Parma é uma das melhores cidades do norte do país, tendo um valor de aluguel consideravelmente alto, o que pode dificultar um pouco inicialmente, entre outros detalhes importantes. Não que você não vá cogitar morar nesses lugares, vai apenas precisar de mais pesquisa e mais preparo.


Continuando as cidades, ainda nas 10 primeiras posições dos melhores salários, temos as cidades de Firenze, na Toscana, Modena, na Emilia Romagna, Vicenza, no Veneto, Genova, na Liguria, Verona, no Veneto, Torino, no Piemonte e Trento, no Trentino Alto Adige. Nessas cidades, a renda anual girou entre €16.700 e €15.000.


Já as cidades com os menores valores pagos anuais estão Pavia, na região da Lombardia, Norte do país, com 5.673,98 euros, Enna, na Sicília, com 5.557,75 euros, Agrigento, também na Sicília, com 5.337,89 euros, Viterbo, na região Lazio, com 4.062,25 euros e Rieti, também no Lazio, com absurdos 3.317,55 euros por ano.


A seguir, deixo a tabela com a lista completa dos salários e as respectivas cidades:


Para vocês entenderem um pouco da média salarial de categorias de trabalhos que exigem menos qualificação e formação profissional, temos valores entre €1.000 e €1.500 euros de salário líquido mensal. E Pri, e esses valores tão baixos, o que pode ser isso no dia a dia? Pode ser vários fatores, como trabalhos part-time, onde a pessoa só consegue trabalhos de meio período, ou cidades que oferecem empregos apenas na alta estação, ou até mesmo o trabalho de forma irregular onde não existe um contrato de trabalho que conste realmente todas as horas trabalhadas, algo comum aqui na Itália: eles te contratam, pagam as horas a mais por fora do contrato e colocam um valor mínimo ali para pagar menos taxas.


E se você me perguntar se então as cidades que têm os salários mais baixos seguem a mesma linha de raciocínio das mais caras, ou seja, será que onde se ganha menos, se gasta menos? Nem sempre. Pavia é um exemplo ótimo para isso: cidade universitária, não é barata, próximo a Milão e não sei o motivo do salário anual baixo assim. Claro que temos sim as cidades mais ao sul do país ou mais rurais, do interior ou montanhosas que podem apresentar valores de custo de vida bem menores devido aos preços dos aluguéis nessas cidades, mas repito, não é necessariamente uma regra, então infelizmente o povo do sul ainda precisa de melhorias salariais, bem como toda a Itália para ser bem sincera. De acordo com alguns pesquisadores e economistas, a Itália realmente tem salários mais baixos quando comparada a outros países como Alemanha e Espanha, por exemplo, e se não é possível o aumento salarial, pelo menos os impostos, que são altíssimos, deveriam ser mais baixos para que o valor líquido final fosse mais interessante.

Comments


bottom of page