top of page

Classificação das melhores cidades para se viver na Itália de acordo com sua idade!

Atualizado: 7 de ago.

Todos os anos é publicada uma pesquisa feita por um jornal muito famoso e conceituado na Itália, onde ela relata como é a qualidade de vida em várias cidades italianas. Resumidamente, ela aponta os fatores que indicam custo de vida, segurança, educação e vários outros aspectos sobre várias cidades no país.


É um ótimo ponto para nos basearmos e procurarmos informações sobre a vida na Itália, principalmente quando queremos saber mais sobre onde morar no país e como escolher uma cidade.



Il Sole 24 ore, que é esse jornal italiano que citei para você, publicou a pesquisa Qualidade de vida nas províncias italianas, elaborando três rankings geracionais divididos entre crianças, jovens e idosos. Mas como assim?


Os três índices medem a habitabilidade do território e relatam a capacidade das instituições públicas em implantar serviços eficientes, as condições relativas de vida, os problemas para atender aos sujeitos mais frágeis e as expectativas dos mais jovens. Basicamente, essa parte da pesquisa revela quais são as melhores cidades para as crianças, para os jovens e para os idosos, tendo em base o que cada geração necessita e o que cada cidade tem a oferecer.


Importante ressaltar que, se você está pesquisando cidades atraentes para seu perfil migratório, lembre-se de levar outros fatores em consideração, como custo de vida, empregabilidade etc. Por isso, recomendo que utilize esses dados como orientação, mas sempre pesquise mais a fundo sobre a cidade para ver se ela tem os outros fatores que são importantes para sua vida no país.


Até o final do ano o jornal publicará a pesquisa final, essa por enquanto é baseada somente nos fatores relativos à faixa etária da população.



Melhores cidades na Itália para crianças


No ranking das cinco províncias com melhor qualidade de vida para crianças dos 0 aos 10 anos, o primeiro lugar ficou com a cidade de Cagliari, localizada na Sardenha, e em sequência temos as cidades de Udine, Oristano, Aosta, Gorizia, Ferrara, Cremona, Ravenna, Trento e Novara.


Dados importantes revelam que Cagliari, por exemplo, se destaca pelo número de pediatras atuantes e oferece uma das melhores relações entre creche e renda média declarada, oferecendo vaga para 27% das crianças de 0 a 3 anos. Mas cai para o 71º lugar (de um total de 107 províncias) para a qualidade de vida dos jovens e para o 25º lugar para os idosos. Na província, porém, ​​o número de residentes com menos de 10 anos diminuiu 14% nos últimos cinco anos, enquanto a população idosa cresceu (+ 11%).


Com a pontuação de 305,26, a província de Nápoles é a pior para a qualidade de vida das crianças. A capital da Campânia é precedida por Caserta, Foggia, Catania e Salerno.


Melhores cidades na Itália para jovens


Ravenna ganha como a melhor cidade para jovens de 18 a 35 anos, e nas dez primeiras posições temos as cidades de Ferrara, Forlì-Cesena, Vercelli, Piacenza, Parma, Grosseto, Bologna, Trento e Prato.


Roma ocupa a última posição no ranking de qualidade de vida dos jovens de 18 a 35 anos: a pontuação total atribuída à capital é de 278,37 (de 1.000). Antes de Roma, nas últimas posições do ranking, encontramos Gênova, Taranto, Pescara e Barletta.


Melhores cidades na Itália para idosos


Trento foi eleita a província com melhor qualidade de vida para os idosos: no ranking dedicado aos maiores de 65 anos, bem como as cidades de Ravenna, Bolzano, Aosta, Bologna, Parma, Sondrio, Roma, Ancona e Milano.


A província de Agrigento foi apontada como a pior para a qualidade de vida reservada aos idosos, com uma pontuação de 342,58 em mil. Nas últimas cinco posições encontramos também as províncias de Palermo, Enna, Messina e Trapani.


Grandes cidades italianas


Existe uma quase total ausência de grandes áreas metropolitanas entre os três primeiros lugares na classificação dessas pesquisas, com exceção de Bolonha que obtém o oitavo lugar para o bem-estar dos jovens e o quinto para os idosos.


Milão e Roma aparecem apenas entre os dez primeiros dedicados a maiores de 65 anos, impulsionadas pelos valores médios de aposentadoria que os idosos recebem. Já as crianças ficam em 42º e 18º lugar respectivamente, penalizadas pelo espaço reduzido (em Milão 50 metros quadrados em média por família) e as duas cidades caem para 76º e 106º lugares para os jovens, também devido às dificuldades de o acesso à casa (alugar uma casa), representado por custos excessivamente altos. Também ruim para os jovens de Nápoles (103º), a que se somam os desempenhos negativos na taxa de desemprego juvenil e na menor incidência de jovens recém-formados.


E quais são as melhores cidades italianas para se viver?


Deveremos aguardar até o final do ano para termos todos os dados referentes à vários aspectos, porém essa pesquisa já ajuda muito. Sugiro que você vá até o site e veja a classificação completa, a pontuação, os fatores que foram analisados etc.


No ano de 2020, um ano de pandemia que mudou muita coisa no país, entre as 10 primeiras melhores cidades para se viver na Itália de acordo com a classificação geral temos: Bologna, Bolzano, Trento, Verona, Trieste, Udine, Aosta, Parma, Cagliari e Pordenone.



bottom of page