Como comprar uma casa na Itália

Por incrível que pareça, comprar um imóvel na Itália não é algo tão simples. Conheço pessoas que, mesmo tendo o dinheiro em mãos para pagar à vista, tiveram dificuldades de conseguir finalizar uma compra. Não sei explicar o porquê, mas sim, isso acontece.


Assim como no Brasil, você poderá comprar direto com o proprietário ou ir até uma imobiliária e deixar que eles te ajudem nessa tratativa (eu recomendo que utilize essa forma caso seja um recém-chegado).


Basicamente o processo da compra envolve quatro etapas: você escolhe a propriedade, faz a oferta; assina o contrato preliminar, e finaliza com a escritura.


Se você estiver ainda no Brasil, você poderá ter uma ideia de valores utilizando aqueles sites que listei lá em cima, e ao invés de colocar “aluguel” (affitto), basta colocar “venda” (vendita). Sugiro que, mesmo que você vá fazer essa tratativa via imobiliária, consulte os imóveis que te interessam antes de ir até o local, você pode fazer isso entrando no próprio site da imobiliária de sua escolha.


Depois de escolher seu imóvel, você deverá fazer uma oferta. Isso também acontece quando você aluga uma casa, e se trata de uma oferta escrita, na qual estará definida os métodos de pagamento, os dados para a escritura, os detalhes do imóvel etc. E basicamente funciona assim: você paga um valor x (valor a concordar), e espera pela resposta do proprietário. Se ele aceitar, negócio fechado, se não, o valor é totalmente devolvido, não se preocupe.


Importante lembrar que, se você fizer pela imobiliária, eles cobrarão uma comissão que varia entre 2 a 5% do valor do imóvel.


Bom, tendo feito a oferta, chegamos na parte do contrato inicial, e que representa que tanto quem está comprando quanto o proprietário, não podem mais voltar atrás. Caso isso ocorra, uma multa será paga por quem houver desistido.