Coronavírus na Itália

O assunto que mais tem sido falado nas últimas semanas é o Coronavírus: um novo vírus que tem causado doença respiratória, com casos recentemente registrados na China, tendo origem na cidade Wuhan. É importante saber que os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais.


Tal vírus é transmitido de pessoa para pessoa, através do contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. Os principais são sintomas são: febre, tosse, dificuldade para respirar.


Atual situação do coronavírus na Itália


No aeroporto aqui na Itália, estão sendo utilizados scanners para controlar a febre, e os voos da china e para china foram bloqueados por cerca de 90 dias. Em 5 de fevereiro, as verificações de temperatura corporal foram estendidas a todos os passageiros em voos europeus e internacionais que chegavam aos aeroportos italianos.


Segundo as autoridades, já são mais de 165 casos confirmados da doença na Itália, e no sábado dia 22/02/20, o governo publicou um decreto com medidas para conter o avanço do vírus, que já matou, até o presente momento, quatro pessoas. O país enfrenta dificuldades para localizar o "paciente 0", ou seja, quem trouxe o novo coronavírus para a Itália.


Até então, onze cidades são afetadas pelo decreto, com uma população que envolve mais de 50 mil pessoas. Além disso, Milão suspendeu as aulas e Veneza cancelou os dois últimos dias de Carnaval.


Segundo dados das reportagens mais atuais, o governo italiano listou as seguintes medidas para as áreas com focos da doença:

  • os cidadãos que estiverem em áreas ou municípios com caso confirmado de Covid-19 não poderão deixar o local;

  • está proibida a entrada de pessoas de fora em áreas ou municípios com caso confirmado da doença;

  • suspensão de atividades e eventos públicos de qualquer natureza, mesmo em locais fechados ou públicos;

  • suspensão de aulas em todos os níveis escolares e de ensino superior, exceto para ensino à distância;

  • suspensão de abertura de museus públicos e outros institutos culturais;

  • suspensão de todas as viagens educacionais, nacionais e internacionais;

  • cidadão que entrar na Itália será obrigado a avisar o governo que esteve em alguma área de risco de contaminação;

  • suspensão de todas as atividades comerciais, exceto as de utilidade pública e serviços públicos essenciais;