Cursos profissionalizantes para fazer na Itália e ajudar na busca de um emprego!

Existem vários tipos de cursos de qualificação profissional que você pode fazer na Itália para iniciar em uma nova área! Esses cursos são muito úteis para quem quer mudar de profissão (ou começar em uma nova) que não exija uma graduação! Fazendo esses cursos, você abre o leque de oportunidades de trabalho no novo país, e no post de hoje, vou citar alguns cursos que serão muito úteis para quem estiver precisando de uma vaga de trabalho na Itália.


Mas, antes de continuar, duas dicas importantes: para fazer esses cursos você tem que provar escolaridade, apresentar a Declaração de valor obtida no consulado italiano no Brasil e ter o básico de compreensão da língua.


Além disso, você terá a oportunidade de fazer esses cursos de maneira privada, pagando por eles, ou tentando os cursos gratuitos que cada região da Itália oferece! Normalmente eles são voltados para desempregados, por isso você precisará ter seu cadastro efetuado no Centro de emprego da sua cidade. Se não, podem ser feitos também em colaboração com Agências de trabalho e outras Instituições que financiam esses cursos. Para saber se tem cursos gratuitos na sua cidade, basta pesquisar por: corsi di formazione professionale gratuiti a “nome da cidade”.


OSS – Operatore socio sanitário (operador sócio sanitário)


Essa função ocupa o 1º lugar entre as profissões de nível médio mais solicitadas na Itália, principalmente nos últimos 2 anos devido a pandemia! Para se tornar um OSS é necessário frequentar um curso de formação com título de qualificação válido a nível nacional através de uma instituição de formação reconhecida pela sua região (1000 horas de curso, das quais, em sua maioria,500 horas serão de estágio).


O OSS desenvolve as suas atividades nos setores da saúde e social, operando em: hospitais, alojamentos comunitários e residências para idosos, na casa do paciente etc., colaborando com outros OSS, com médicos, enfermeiras, assistentes sociais, educadores, fisioterapeutas e com as famílias dos pacientes. O trabalho do OSS dirige-se a pessoas em situação de penúria ou doença social: idosos com problemas sociais e de saúde, famílias, crianças, pessoas com deficiência, adultos em dificuldade ou com problemas psiquiátricos e doentes hospitalares.