Melhores e piores cidades para se viver na Itália

Todos os anos é publicada uma pesquisa em um renomado jornal italiano (Il Sole 24 ore) sobre a qualidade de vida na Itália, feita todos os anos, desde o ano de 1990, em 110 principais cidades italianas. Essa pesquisa engloba vários fatores como: segurança, trabalho, poder de compra, lazer, saúde, ordem pública, entre muitos outros.


Tendo em base o resultado da pesquisa feita no ano de 2017, quero falar para vocês sobre quais foram eleitas as melhores cidades para se viver na Itália, levando em consideração todos os fatores abordados na pesquisa.


Uma curiosidade interessante que achei ao analisar os resultados da pesquisa, é que não tem nenhuma cidade do sul entre as 20 primeiras colocadas, sendo que as regiões que lideram o ranking da pesquisa são Lombardia e Emilia Romagna. Ou seja, mais uma vez os resultados dessa pesquisa destacam a diferença entre viver no norte e no sul da Itália.


Como é feita a análise das cidades italianas?


Para saber qual a posição que a cidade pesquisada ficou, cada cidade recebe uma pontuação referente a cada área que citei logo acima para vocês. Sendo assim, é feita uma média da pontuação de todos os quesitos analisados e definido uma pontuação final para determinada cidade. Você pode também analisar apenas por tópicos, exemplo: se você quer saber qual foi a melhor cidade no quesito segurança, basta clicar no quesito segurança que a ordem da classificação mudará. Ou seja, uma cidade pode estar em primeiro no quesito melhor para se viver de um modo geral mas pode estar em 5° quando se olhar apenas a questão da segurança.


As cinco melhores cidades para se viver


As cidades que conquistaram os primeiros lugares nessa classificação são cidades da Região dos Alpes. Em primeiro lugar temos Belluno, localizada no Veneto, com cerca de 36 mil habitantes, e sua classificação se deu principalmente devido ao quesito de segurança, se destacando pelo menor número de assaltos à população e pela boa taxa de emprego.