Sanatoria: medida do governo italiano para regularizar imigrantes ilegais na Itália

No mês de janeiro de 2020, a ministra do interno, Luciana Lamorgese, disse em uma entrevista que é possível que aconteça esse ano uma “sanatoria”, que nada mais é que uma provisão para legalizar os imigrantes que estão ilegais em solo italiano. Já houveram outras “sanatoria”, e muitos brasileiros vivem legalmente hoje na Itália justamente por conta desse acontecimento. A última foi no ano de 2012, e tal comentário da ministra está dando o que falar em vários locais.


Do que se trata a sanatoria?


Ela disse na entrevista que “a intenção do governo é avaliar uma provisão extraordinária para a regularização de imigrantes ilegais já presentes na Itália mediante a disponibilidade imediata de um contrato de trabalho, permitindo a regularização dos mesmos, fornecendo, no momento da assinatura do contrato, o pagamento de uma contribuição fixa pelo empregador e a emissão da autorização de residência (permesso di soggiorno) para o trabalhador".


De acordo com a entrevista, com o número de "400.000 pessoas (ou parte dos aproximadamente 600-700.000 trabalhadores irregulares estimados no território nacional), seriam obtidos cerca de 1 bilhão de euros em receita tributária e mais de 3 bilhões em maiores contribuições previdenciárias, se tais pessoas fossem regularizadas".


Com a legalização desses trabalhadores, o país teria uma demanda que atenderia às necessidades do sistema de produção italiano e traria recursos significativos em termos de receita tributária e previdenciária. Ainda de acordo com a ministra, “nenhum estado democrático pode permitir-se ter 700 mil cidadãos em seu país (essas são as últimas estimativas) que são fantasmas e pessoas irregulares e que, talvez, tenham um empregador pronto para contratá-los amanhã. Os benefícios para a comunidade seriam, portanto, múltiplos, também em termos de maior se