Tudo sobre trabalho na Itália: vagas, currículo e cursos

No post de hoje, quero falar sobre vários tópicos importantes de um assunto que vocês sempre me pedem; trabalho na Itália! Por isso, reuni várias informações úteis para ajudar na hora que precisarem dar esse passo no novo país.


Tipos de trabalho na Itália


Existe uma infinidade de trabalhos a serem executados na Itália, e uma coisa que é muito importante ser dita é que o que você vai conseguir dependerá exclusivamente do seu perfil: sua área de atuação, suas experiências anteriores, os idiomas que você fala e principalmente se você tem o famoso QI (quem indica).


Aqui eu sempre ressalto duas coisas importantes: se você quer dar continuidade na sua área de atuação ou não. Nessa hora precisamos analisar se sua profissão se enquadra em uma profissão regulamentada, a qual exige então uma validação para que atue profissionalmente, ou se ela não é regulamentada, não sendo necessário nenhum procedimento de validação.


As regulamentadas são aquelas regidas por um órgão e por leis específicas, como é o caso de arquitetura, direito, cursos da área da saúde, entre outros. Já as não regulamentadas são profissões como Tecnologia da informação, comunicação, marketing, design entre outras.


Atuar na área e ter que validar diploma é um longo percurso, que quase ninguém percorre ao chegar aqui, então esse não será meu foco de hoje. A grande maioria chega, se não precisa validar, procura sim um emprego na área, e aqui o item fundamental, indispensável e importante é a questão de saber falar o idioma. Independente se você vai fazer o que você já sabe ou vai fazer outra coisa, você não só precisa, como deve saber falar a língua, independente do tipo de vaga. Tendo isso, você provavelmente consegue sim um trabalho, talvez não na sua área de imediato, mas em empregos mais comum sem dúvida você irá conseguir. E lembre-se: inglês é apenas um complemento, aqui você precisa falar italiano, seja para fazer limpeza, trabalhar em um bar, no comercio ou qualquer outro tipo de profissão.


Agora, um outro fator importante, para onde você vai? Porque se for para o lugar errado, nem na área e nem sem ser na área você vai conseguir o trabalho. Eu sempre falo sobre isso e repito: quer oportunidades de emprego mais imediato? Foque em morar nas regiões do Veneto, Lombardia, Piemonte ou Emilia Romagna. Quanto mais perto de grandes cidades como Milão, Verona, Torino ou Bologna, maiores são suas chances de conseguir um emprego.


Mas não só nessas cidades ou ao arredor delas, todas essas são regiões desenvolvidas, industriais e muito ricas, basta não ir para uma cidade afastada ou pequena demais, e previamente fazer uma consulta da quantidade de vagas disponíveis e para quais áreas elas são.


Bom, antes de mais nada, você precisa saber que conseguir um emprego na Itália funciona basicamente como no Brasil: entregar currículo, mandar e-mails, se candidatar pessoalmente, ter indicação, ir às agências de trabalho (que funcionam muito bem) etc.


Mesmo com cidadania italiana, você sabe que somos recém-chegados no país e que somos vistos como imigrantes, afinal de contas, é o que realmente somos. E isso não é um problema, estou apenas esclarecendo para você entender que no começo algumas vagas são mais destinadas a nós pelo fato da falta da língua, da falta de cursos feitos aqui, de não termos quem indica etc.


Entre os mais comuns, posso citar: magazziniere (pessoa responsável por armazéns de lojas, indústrias etc.), operador de empilhadeira, operário em fábricas, funções diversas em empresas de logística, montadores de móveis, entregador de delivery, motorista de furgão (que você pode dirigir somente com sua carteira B do Brasil), badante (que é cuidador de idosos, mas que eu, particularmente, não recomendo muito, acho que pagam pouco ou quando pagam bem, é muito trabalho, ou você precisa morar na casa, ficar sete dias da semana ali, fazer compras, limpar a casa, enfim, existem as vagas boas e justas, mas já ouvi muita reclamação a respeito dessa área profissional), mas, voltando, vagas no setor de construção, de turismo, limpeza entre outros.


Atualmente, algumas áreas têm tido um boom de contratação, e seriam as áreas que eu tentaria ingressar! A primeira delas é no setor de saúde, principalmente OSS, que vou falar mais adiante na parte de quais cursos profissionalizantes fazer; outro setor é na área de logística, empresas como a Amazon e a DHL, por exemplo, realizam muitas contratações; motoristas em geral, principalmente de furgão e caminhão, mas nesse caso do caminhão, você teria que fazer sua carteira de motorista aqui, a sua brasileira não é aceita para conversão como é o caso da carteira B, ou então ir validar a brasileira em Portugal e depois disso converter para a Italiana; e claro, vagas no setor de TI que sempre estão em alta, desde que atua mais no suporte básico, até quem é programador, desenvolvedor web entre tantas outras funções dentro do setor da tecnologia.


Melhores sites para procurar trabalho na Itália


Se você atua em TI, comunicação, design gráfico ou qualquer outra profissão que não necessita da validação profissional que eu citei anteriormente, uma das melhores ferramentas para procurar emprego em áreas especificas é sem dúvida o LinkedIn. Ele é uma das ferramentas virtuais mais usadas pelos recrutadores italianos e ter um perfil atraente e completo, e claro, em italiano, pode ser sua entrada no mercado de trabalho.


Além de escolher a foto de perfil e a foto de capa da sua página, é interessante escrever até no máximo 5 linhas, deixar o texto fluido e interessante, ser claro e objetivo, e resumir quem você é (suas principais características).


Além dele, temos é claro vários sites para se candidatar, como Monster, Infojobs, Indeed, Trovolavoro, Cercolavoro, Subito, Bakeca, Kijiji, In job entre outros.


Agências de emprego que funcionam bem na Itália


E claro, temos as agências de trabalho, que na Itália funcionam muito bem, e que tem sido a forma de conseguir o primeiro emprego de muitas pessoas! Entre as principais e que melhor funcionam no país posso citar: Adecco, Gigroup, Manpower e Umana.


Cursos profissionalizantes para fazer na Itália


Uma outra coisa relacionada a trabalho que pode te ajudar muito na Itália é fazer um curso profissionalizante aqui no país, assim você adquire uma nova formação e faz estágios que podem te ajudar na procura do primeiro emprego.


Entre os cursos que recomendo, pois sei que tem uma alta demanda de contratação posso citar OSS – Operatore socio sanitario (que corresponde ao técnico de enfermagem e que vem tendo um boom de contratação); ASO – Assistente studio odontoiatrico (assistente de dentista); Operatore di magazzino della logistica (operador de armazém logístico); Barista e Barman; Operaio Saldatore (soldador) e Operador de empilhadeira, curso rápido e fácil de fazer.


Em relação aos sites para pesquisar esses cursos, posso citar o T.R.I.O, Coursera e Corsidia, além de tantos outros privados ou instituições presenciais na cidade onde você planeja morar.


Currículo italiano: como fazer? E o currículo europeu?


O currículo é um dos principais cartões de visita quando estamos procurando emprego, e se for em outro país, a gente fica perdido sem saber exatamente qual fazer, como fazer e qual realmente é o utilizado por aqui.


Por muito tempo foi falado do uso do modelo de currículo europeu e se ele era indicado a ser utilizado na Itália, mas, tendo em vista o formato, existem outros currículos que são mais bem vistos por aqui. Apesar do Europass ser uma plataforma que ajuda muito na criação de um currículo, é melhor ter acesso a modelos comuns usados na Itália e usar eles como base para o seu. O europeu é muito utilizado em universidades e entes públicos, devido a sua extensão, geralmente são duas ou três páginas, sendo assim, ele não é atrativo para outros tipos de empresas, uma vez que o que eles buscam é objetividade.


Fazer currículos curtos, voltados para o que você quer fazer e que é relevante para a vaga desejada, é o que mais funciona na Itália: eles buscam um currículo com boa comunicação, além de uma boa estética e objetividade.


Além de ser curto e direto, uma outra dica é o uso de foto. Aqui eles visualizam muito mais um currículo que tenha foto, e dão preferência para esses currículos na hora da seleção! No Brasil não é tão comum o uso de currículos com foto, mas na Itália sim.


Entre os dados principais a serem colocados no currículo, temos suas informações pessoas, as experiências profissionais, qual seu grau de formação, competência linguística (onde você descreve qual sua língua materna e as outras línguas faladas, seguindo o exemplo do quadro comum europeu, além de competência informática e outras informações adicionais como se tem uma carteira de motorista, por exemplo.


Vou deixar aqui um modelo de currículo padrão, e quero que analise atentamente quais os itens abordados, e pode fazer o seu primeiro usando esse modelo como uma base, ou então, esse daqui!