Um jardim maravilhoso na Toscana: Villa Reale di Marlia

Hoje você irá conhecer um dos locais mais lindos da cidade de Lucca (para não dizer da Toscana também): Villa Reale di Marlia, um tesouro que encontramos há poucos dias, pertinho da nossa casa, e que queremos compartilhar com você!



Aproveite e conheça o site da Villa Reale di Marlia e saiba de todos os eventos futuros neste local maravilhoso, bem como tudo o que tem para ver em um dia de visita.




A história dessa incrível Vila na Toscana


O local possui origens nos tempos medievais, e passou por muita história e restruturação até chegar o que é hoje. O primeiro núcleo foi formado por uma fortaleza habitada pelo duque de Tuscia durante o início da Idade Média. Posteriormente, a propriedade passou para a família Avvocati e, mais tarde, para os nobres Buonvisi, uma família lucchesa de comerciantes e banqueiros que transformaram a fortaleza em um edifício imponente. Após o fracasso, os Buonvisis venderam a maioria dos ativos da família, incluindo a Villa di Marlia.



Durante o período napoleônico, Elisa Bonaparte Baciocchi, irmã de Napoleão e princesa de Lucca, comprou a propriedade no ano de 1806. Foi neste momento que a vila se tornou Reale (Real), devido ao título de Elisa, rainha da Etrúria. O vínculo da princesa com a residência de Marlia era forte e intenso:



Elisa foi responsável pelas principais intervenções que transformaram a estrutura do edifício e os jardins. Logo após a compra, ela incorporou a vizinha Villa del Vescovo ao complexo e modernizou as fachadas do antigo Palazzo Orsetti de acordo com o estilo neoclássico.





Depois da queda de Napoleão, Elisa teve que deixar o local (por volta de 1814), que foi comprado por outras pessoas e, por volta de 1850, a propriedade passou a ser de propriedade do reino da Itália, pertencendo ao rei Vittorio Emanuele II.

Por último, no ano de 2015, um casal jovem da Suíça comprou a propriedade. O local acabou de ser completamente restruturado e reaberto ao público.




Restauração da Villa


A Villa Reale é uma combinação de história, arte e arquitetura, em uma composição de formas de grande elegância e requinte. A sobreposição das várias épocas culmina na evidente impressão neoclássica, toda tipicamente italiana, com uma releitura francesa recorrente e sutil, tudo retratado nos prédios, no parque, estátuas, fontes e jardins surpreendentes.


O projeto de restauração foi coordenado pelo arquiteto Luca Borgogni, em colaboração com vários especialistas e colaboradores coordenados em um trabalho multidisciplinar de grande importância.



O preço de compra do local foi em torno aos 25-35 milhões de euros, e a restruturação do local ficou por volta dos 50 milhões de euros! Agora, além do parque, a villa também está restaurada e aberta ao público para visitação!


Onde e como chegar na Villa Reale di Marlia


O lugar fica localizado a apenas 10km do centro de Lucca (Via Fraga Alta 2, Marlia), e pode ser facilmente acessado: você pode ir de carro, bicicleta, a pé e de transporte público.



Caso você queira ir de ônibus, basta pegar a linha 59 (Lucca – Marlia) que para na frente do parque (para voltar para o centro da cidade, basta pegar o ônibus no mesmo local, porém do outro lado da rua). O bilhete do ônibus custa 1,50€, e quem chegar ao parque de ônibus, tem desconto de 1€ no bilhete do parque!



Horário de funcionamento


De 01 de março a 31 de outubro, o local fica aberto todos os dias, das 10:00 às 18:00 (última entrada 1 hora antes da hora de fechamento). Entre 1 de novembro a 28 de fevereiro o parque fica fechado para restauração e manutenção.


Valor do ingresso


Você pode escolher visitar somente o parque, ou o parque e a Villa (museu). O parque custa 9€, e caso você visite a Villa junto, o valor fica 14€ (Parque + Villa).


Para adolescentes entre 14 e 17 anos, grupos de no mínimo 10 pessoas, adultos com mais de 65 anos, sócios FAI e TOURING CLUB, e Abbonati CTTNORD pagam o preço reduzido: 7€ o parque, ou 12€ Parque + Villa.


Crianças até 14 anos (excluindo grupos), Acompanhantes e Guias Turísticos, motoristas e pessoas com deficiência não pagam o ingresso.


Caso você queira, você pode comprar o passe que te permite acesso ao parque durante todo o período de abertura, o valor é de 55€.



O local


Você terá muitas coisas para ver e fazer, e para isso, receberá um mapa com o percurso completo do parque, com a rota a ser feita, e todas as paradas para serem exploradas!


O itinerário compreende um percurso pelo parque, a visita a vila, e também um “percurso olfativo”, que faz parte do percurso normal do parque, porém possui detalhes para amantes da natureza.


Itinerários


O Parque Villa Reale em Marlia tem uma área de 16 hectares e é o resultado de uma sucessão complexa de transformações que testemunham dois períodos diferentes de construção da arquitetura das vilas de Lucca.



Seu percurso começará logo na entrada no parque, e é dividido em 12 pontos de interesse, e se quiser, poderá também fazer o percurso olfativo: entre as inovações propostas em 2018, o objetivo mais importante é a possibilidade de tornar o parque conhecido através ... do olfato. A ideia é que você percorra o parque, mas prestando atenção nas flores (que mudam de acordo com cada estação), aprendendo mais sobre elas, sentindo os cheiros diversos, e aproveitando ainda mais o passeio.


Bom, voltando ao itinerário, você terá em mãos seu mapa, e dará início ao seu passeio, onde você iniciará nas Camélias, até chegar na Vila. Além disso, dentro do parque você terá a sua disposição uma pequena cafeteria, com bebidas e comidas, além de um banheiro de uso público.



A - Vialle delle Camelie


Durante os meses de fevereiro e março, você encontrará lindas e variadas camélias no parque, e essa será a primeira parte do seu passeio: uma imersão em meio ao verde do parque, podendo conhecer camélias de várias partes do mundo. No início de janeiro, mais de trinta variedades de camélias antigas começam a florescer, com várias formas e cores que variam do branco ao vermelho.



B - Lago


A próxima parada é algo de tirar o fôlego: uma vista incrível do parque a partir do grande lago que têm no local. Além da beleza natural do lugar, algo incrível chama a nossa atenção: a Vila fica ao fundo da vista do lago, e no lago é projetado o reflexo da vila na água, como se fosse um espelho, e isso foi proposital! O arquiteto J. Greber projetou essa ideia no ano de 1924, fazendo com que a vista fique ainda mais incrível!


Além disso, ali você encontrará três antigas estátuas, representadas por Vulcão, Hércules e Demétria.



C- Villa del Vescovo e giardino all'Italiana


O lugar é formado por uma construção de origem medieval e por um jardim maravilhoso (o meu preferido no parque). A Villa del Vescovo recebeu esse nome porque foi construída no século XVI nas ruínas de um antigo castelo medieval preexistente de propriedade do bispado de Lucca.



O Jardim é lindo, com vários desenhos geométricos, e te reporta a uma época antiga, algo muito incrível. Dica: na saída pela lateral do jardim, observe a parede à sua direita, ali tem uma fonte linda!


D - Piscina


Uma parte curiosa do itinerário: uma piscina dos anos 20, abandonada até então. Junto a ela, foram construídos um campo de bocha e um outro de tênis, com a intenção de criar uma área especial para os esportes.



E - Grotta di Pan


Acho que esse é meu lugar favorito no parque! Passei grande parte do tempo ali, observando a arquitetura, os detalhes, pensando no que as pessoas faziam ali antigamente, e sinceramente, me surpreendi com cada detalhe do local.



O “Nymphaeum”, local sagrado para as ninfas, é dedicado ao Deus Pan, que na mitologia grega era uma divindade não olímpica, meio homem e meio animal, reconhecido como o deus dos pastores, do campo e dos bosques. O Nymphaeum foi construído entre 1570 e 1580, e além da parte de “fora” da estrutura, você encontrará uma outra parte fechada, imitando uma caverna circular, comi um teto abobadado que recria um espaço escuro de concreções calcárias e é iluminado por um óculo localizado no topo do teto. As paredes desta segunda sala são decoradas combinando tufos ásperos, estalactites, decorações geométricas regulares, máscaras grotescas e a estátua do Deus Pan e figuras marinhas antropomórficas.



F - Giardino Spagnolo


Um jardim incrível de forma retangular, construído no ano de 1924, com duas fontes lindíssimas e muitas flores! Um lugar para se admirar e observar por um bom tempo!


G - Capella di San Francesco Saverio


Não conseguimos entrar nessa igrejinha, infelizmente estava fechada, mas é lindinha por fora e guarda muita história. Ela foi encomendada pelos Orsetti e teve sua construção concluída em 1710: a capela tem um busto do padroeiro Francesco Saverio, protetor dos missionários e turistas, na frente. Durante o período em que o complexo Villa Reale era de propriedade do Estado, a capela passou por um período de negligência e retomou sua função com os príncipes de Cápua, tornando-se posteriormente o local de sepultamento das famílias Borbone-Cápua e Pecci-Blunt.



H - Giardino dei Limoni


Surreal! Simplesmente fantástico o cuidado com o local, e a beleza desse jardim! Confesso que não havia visto algo assim antes, e o cuidado e a arquitetura me chamaram muita atenção. São mais de 200 plantas cítricas com uma vasta variedade de espécies, dispostas em vasos antigos de terracota ao redor do viveiro e canteiros de flores.



Nesse jardim, o famoso pintor americano John Singer Sargent, que ficou na Villa Reale durante o século XX, pintou alguns de seus lindos quadros.


I - Teatro di Verzura


O Teatro foi feito em 1690 pela família Orsetti. Ao longo do século XIX, o período em que o Villa Reale era de propriedade de Elisa Bonaparte Baciocchi, o teatro se tornou o local para a visita de Niccolò Paganini ao Villa, e ali foram realizadas várias apresentações teatrais.


J - Palazzina dell"orologio





O nome do complexo (Palácio do Relógio) deriva da posição particular elevada do relógio, típica de muitas vilas da Toscana da época. Este edifício foi construído pelos Orsetti entre o final do século XVII e o início do século XVIII, para abrigar os estábulos, cozinhas e serviços.







L - Teatro D'Acqua


O teatro faz parte da arquitetura do parque e tem sua origem no século XVII. Aqui as cores da vegetação e o rugido barulhento da água coexistem e criam efeitos naturais de rara beleza. Fica na parte de trás da Vila, e é incrível! Cheio de flores, cascatas, histórias e encantos.



M - Villa Reale


Finalmente chegamos na vila: no local onde hoje fica a Villa Reale, no início da Idade Média, era o palácio dos duques de Tuscia. Quando a propriedade passou para os nobres Buonvisi, uma família lucchesa de comerciantes e banqueiros, a antiga fortaleza já havia sido transformada em um imponente prédio de dois andares. O imponente edifício, com piso térreo utilizado para serviços, era caracterizado por um pórtico e cercado por jardins e fontes.



Hoje é um museu aberto ao público, onde você poderá visitar vários cômodos, inclusive o que foi o quarto da princesa Elisa, irmã de Napoleão. Incrível, não? Agora é só ir visitar já que te dei todas as dicas! Aproveite, o local é incrível! E depois deixa seu comentário aí em baixo contando o que achou!

 

Modulo di iscrizione

Toscana, Itália

  • Instagram
  • Facebook

©2020 di Coisas que eu sei.